Jornalismo literário: o encontro entre reportagem e ficção

Por Jeisa Santos 2 de junho de 2022
Jornalismo literário: o encontro entre reportagem e ficção

O jornalismo literário é um estilo de texto que é utilizado para a produção de reportagens aprofundadas e com mais liberdade temática e de linguagem. Nesse texto, explicamos as diferenças em relação ao jornalismo tradicional e trazemos algumas dicas de livros do gênero.

De acordo com o Observatório da Imprensa, o jornalismo literário é a intersecção da realidade (jornalismo) com a ficção (literatura). Basicamente, o jornalismo literário busca informar os acontecimentos utilizando uma estrutura narrativa própria da ficção.

Para ficar ainda mais claro, o jornalismo literário une o texto jornalístico à literatura, pensando em trazer ao leitor reportagens mais detalhadas, que muitas vezes viram livros e são adaptadas para o cinema e televisão. Essa relação fica clara através do registro de fatos objetivos (o material do jornalismo) usando uma linguagem mais subjetiva e dando mais espaço para a expressão do repórter e da individualidade dos personagens entrevistados, como acontece no texto literário.

O jornalismo literário proporciona aos escritores e leitores uma liberdade temática, fazendo com que as pessoas compreendam, de forma mais profunda, os fatos relatados. Devido à fusão entre o estilo objetivo jornalístico e o estilo subjetivo literário, há a possibilidade de abordar também emoções, opiniões e questões pessoais dos envolvidos nas histórias, o que geralmente não acontece no jornalismo diário ou tradicional.

Agora que você já está familiarizado com o jornalismo literário, separamos cinco livros de reportagens que foram escritos neste estilo, materializando a união do jornalismo com a literatura. 

  1. Ela disse: Os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo

Esse livro conta a história de mulheres que foram assediadas pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein (responsável por construir carreiras de atrizes como Jennifer Lawrence). 

As escritoras Jodi Kantor e Megan Twohey descrevem com detalhes os casos, com depoimentos de diversas vítimas e refletem sobre o futuro do movimento feminista.

A obra pode ser encontrada em livrarias físicas e em plataformas de e-commerce, como por exemplo no site da Amazon

  1. O super-homem vai ao supermercado

O título provocativo já indica que este livro não traz reportagens tradicionais. Norman Mailer é um autor clássico do jornalismo literário e apresenta, neste livro, algumas reportagens suas fruto de coberturas de convenções presidenciais dos Estados Unidos. O destaque da obra é o estilo irônico e profundamente crítico de Mailer, que usa a liberdade narrativa do jornalismo literário para se aprofundar nas histórias dos candidatos de uma maneira jamais vista nas coberturas feitas nos jornais diários: Mailer considerava quase tudo um registro jornalístico relevante, desde as roupas escolhidas pelos candidatos até o comportamento dos jornalistas presentes.

Disponível em diversos e-commerces e livrarias.

  1. O jornalista e o assassino: Uma questão de ética 

Este livro conta a história de um médico, Jeffrey MacDonald, que foi condenado pelo assassinato da sua esposa e duas filhas. Na época, MacDonald moveu um processo inaudito contra um jornalista que havia escrito um livro sobre ele, com base no julgamento e em entrevistas realizadas na prisão. 

Janet Malcom, jornalista, trouxe a este livro pautas polêmicas sobre a ética do jornalismo e a liberdade de imprensa. É possível encontrá-lo também na Amazon

  1. A Alma Encantadora das Ruas

João do Rio é um representante do jornalismo literário brasileiro. Neste livro de crônicas, que aliás é um gênero de texto característico do jornalismo nacional, o autor faz um registro profundo e detalhado do Rio de Janeiro que se modernizava. 

As histórias exploram questões sociais e a vida cotidiana de diversos personagens da cidade, construindo relatos honestos e verdadeiros, mas que não deixam de serem emocionantes e tocantes, devido aos recursos estilísticos típicos da literatura utilizados pelo jornalista.

  1. Honra Teu Pai

Joseph “Joe Bananas” Bonanno, chefe de uma máfia americana, foi sequestrado em 1964 e deixa seu filho, Salvatore “Bill” Bonanno, sozinho na chefia da própria família. O livro traz, de forma detalhada, a visão de dentro da máfia, com acesso a todos os passos do clã Bonanno. 

Protagonizando uma das maiores guerras entre mafiosos, a família Bonanno tem sua história marcada pelo poder e pela queda. 

Conclusão 

O jornalismo literário quebra o paradigma da divisão entre jornalismo e ficção. Neste conteúdo, explicamos as diferenças e semelhanças entre esse gênero de escrita e o jornalismo tradicional. Para perceber essa ligação de fato e ficção e se envolver nesse estilo de escrita, os livros aqui mencionados poderão te ajudar. 

Após realizar a leitura, não esqueça de voltar aqui e nos contar o que achou.

Blog
NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre comunicação e negócios

O responsável pelo tratamento dos seus dados pessoais é o DINO Divulgador de Notícias. Estes dados serão utilizados para lhe enviar informativos sobre os nossos serviços, além de utilizarmos para efeitos estatísticos. Para mais informações sobre como utilizaremos os dados, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Ao utilizar este formulário você concorda com a nossa Política. O DINO Divulgador de Notícias pode compartilhar estes dados com outras marcas do Grupo Comunique-se para a mesma finalidade.

Caso deseje se desinscrever, você pode fazê-lo a partir de algum e-mail já recebido (através da função descadastrar) ou nos contatando a partir do e-mail [email protected]

Para exercer os seus direitos de usuário para retificação ou remoção dos dados sensíveis, contate-nos através do e-mail [email protected]