Campina Grande sedia "Oscar do Forró" : o Troféu Gonzagão

A Federação das Indústrias do Estado da Paraíba – FIEP, o Projeto SESI Cultura e Tradição da Paraíba e o Centro de Ortodontia Integrado trazem à cena a sua VI Edição. Neste ano, o evento homenageia o pernambucano de Garanhuns: o grande mestre Dominguinhos.

Campina Grande, Paraíba (DINO) 5/15/2014

Com tanta história para contar, o Troféu Gonzagão demonstra que o forró está mais vivo do que nunca. O fato de não estar em pauta nas grandes mídias, não invalida a força perene de suas raízes. O velho forró tem se renovado.

Os primeiros acordes ...
Uma sanfona, um zabumba, um triângulo, o tocador. Era arrasta-pé no topo da serra.Foi de lá, que ecoou o baião. Daí por diante o forró tomou conta do arraiá, invadiu o pé-serra, fugiu da seca e migrou para o sul levado pelos icônicos paus-de-arara.Fez das feiras livres sua latada, na puxada do fole estava a garantia do "ganha pão".

Assim como o nordestino, o forró também é um forte. Se reinventou, se vestiu de gala e hoje é estrela de primeira grandeza nos grandes palcos brasileiros. É em Campina Grande, cidade do Maior São João do Mundo, que se realiza o maior encontro de forrozeiros do mundo: o Troféu Gonzagão. A megalomania, típica campinense, se justifica com base nos números. Já imaginou uma noite na qual estão reunidos no mesmo local mais de cem artistas forrozeiros de renome nacional e internacional?

A noite de gala do forró reúne importantes expoentes da música nordestina a exemplo de Elba Ramalho, Nando Cordel, Anastácia, Flávio José, Dorgival Dantas, Zé Calixto, Alcione, Ton Oliveira, Onildo Almeida, João Gonçalves, Lucy Alves, Amazan, Alcymar Monteiro, Waldonys, Chambinho, Pinto do Acordeon, Genival Lacerda entre muitos outros. Neste ano, o evento homenageia o pernambucano de Garanhuns: o mestre Dominguinhos. Artista iluminado que representou e sempre representará uma de nossas maiores expressões musicais: o forró.

Na oportunidade, serão alvo de homenagens artistas como: Anastácia, Nando Cordel e Elba Ramalho pela contribuição à música brasileira através das composições e parcerias de sucesso feitas com Dominguinhos.

O evento acontecerá no dia 21 de maio, às 20h, no Centro de Convenções Francisco de Assis Benevides Gadelha da FIEP, em Campina Grande, na Paraíba.

Com as bençãos dos Padroeiros...

Considerado como "o Oscar do Forró", o evento criado para elevar e fortalecer o ritmo é fruto da dedicação e amor à cultura nordestina dos ortodentistas Ajalmar Maia e Rilávia Cardoso: os "Padroeiros do Forró". É isso mesmo. No Nordeste das muitas tradições culturais, há padroeiro em tudo. E porque com o forró tinha e ser diferente? Não podia ser não. Tanto é, que é desse jeito!

"Somos um casal de dentistas e ativistas culturais, profundamente apaixonados pela música nordestina, mais notadamente, o forró. Temos promovido estes eventos anualmente, o que nos credenciam a desfrutar da amizade pessoal com vários destes artistas" destaca Rilávia Cardoso.

De acordo com Ajalmar Maia, ambos já estiveram presentes em outras importantes iniciativas "apoiamos e tivemos registro nos créditos do filme “O milagre de Santa Luzia” tendo como estrela maior “Dominguinhos” mostrando todos os ritmos da sanfona brasileira". Participamos de entrevista do Globo Repórter em 2007, por ocasião da Homenagem a Dominguinhos no evento “Sanfona Sentida” e também por sermos proprietários de uma das cobiçadas sanfonas pertencentes à Luiz Gonzaga".

"Promovemos o lançamento Nacional do filme “Paraíba meu Amor”, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP). Nesta ocasião, houve uma grande repercussão na mídia local e regional" afirmou Ajalmar Maia, reforçando a experiência e alcance conquistados pelo trabalho que desenvolvem.

Da sala de reboco à clínica de ortodontia...

Desde sua primeira edição, realizada em umas das salas do Centro de Ortodontia com o objetivo de resgatar à cultura e a música nordestina, o projeto foi consolidado há mais de 10 anos, homenageando ícones da música regional com visibilidade local, nacional e internacional. A exemplo de artistas como Dominguinhos, Elba Ramalho, Marinês, Raimundo Fagner, Chico César, Antônio Barros e Cecéu, Adelmário Coelho, Oswaldinho, Targino Gondim, Adelson Viana, Glorinha Gadelha, Sivuca, Camarão, entre outros.

A partir de 2009, o evento ganhou outra dimensão, transformando-se em uma vitrine para outorgar o Troféu “Gonzagão” aos vários destaques da música. Logo, foi firmada uma parceria com o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba - FIEP/PB, Francisco de Assis Benevides Gadelha. Ele, um entusiasta cultural, anteviu o sucesso e apostou em alavancar a Paraíba como um verdadeiro celeiro da Indústria Musical, incorporando a referida iniciativa ao Projeto SESI Cultura Tradição da Paraíba.

À luz desse ideal, foram homenageamos os seguidores de Luiz Gonzaga e outros que perpetuaram a sua grande obra, na oportunidade, cerca de 50 artistas estiveram presentes. O sucesso do evento repercutiu na mídia local, regional e nacional. Em 2010, a ideia foi homenagear Jackson do Pandeiro. Um paraibano, compositor, intérprete, instrumentista, ritmista, que além de dotes cênicos e coreográficos foi um grande vencedor da sua arte, com uma imensa obra que abrange côcos, rojões, baiões, sambas, frevos, marchas, rancheiras, xotes, entre outros gêneros brasileiros.

Pela dimensão alcançada, o Troféu Gonzagão foi indicado para constar permanentemente no calendário de eventos da Prefeitura Municipal de Campina Grande.

Como bendiz a "Padroeira do Forró", Rilávia Cardoso, "o Troféu Gonzagão é a evocação de uma cultura que tem como bandeira o forró, é fruto da genialidade de um homem simples, cuja sabedoria e amor ao seu povo, revolucionou e construiu uma nova história que engrandeceu, definitivamente, o cancioneiro da música popular brasileira: Luiz Gonzaga. Se constitui, também, como uma forma de exaltar as brilhantes expressões artístico-culturais do nosso país", reforça a doutora.

Com tanta história para contar, o Troféu Gonzagão demonstra que o forró está mais vivo do que nunca. O fato de não estar em pauta nas grandes mídias, não invalida a força perene de suas raízes. O velho forró tem se renovado e tem muita passarela a sua frente. É como disse o jornalista Assis Ângelo - em conversa com o também jornalista e escritor José Nêummane Pinto - "estamos vivenciando aqui, a retomada da música nordestina com toda força e categoria, a música sai da feira para os grandes palcos".

Isso mesmo. O forró deixou as velhas latadas e fez da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba o seu palácio! Onde tem reinado nos últimos anos. Fato é que, enquanto uma sanfona, um zabumba, um triângulo ecoar, o forró sempre terá seu espaço garantido em todos os salões brasileiros.

Contato: Geneceuda Monteiro - 83-8814-6576


Website: http://vocabodario.blogspot.com.br/2014/05/o-oscar-do-forro-existe-e-se-realiza-em_15.html

Informações de contato