Plágio no jornalismo: o perigo e as consequências da famosa prática de copiar e colar

Por DINO 13 de abril de 2016
Plágio no jornalismo: o perigo e as consequências da famosa prática de copiar e colar

Na busca pelo furo jornalístico e, consequentemente, sua audiência, a internet fez do jornalismo uma linha de produção (lembrando logo da Teoria de Newsmaking – na qual as notícias são como são porque a rotina industrial assim as determina) sem profunda avaliação, revisão e origem do conteúdo veiculado. Neste sentido, aparecem os erros. Dentre muitos, a cópia não autorizada – conhecida tecnicamente por plágio.

Plágio é a ação de assinar, apresentar ou copiar uma obra intelectual (texto, música, fotografia, vídeo etc.) que pertença a outra pessoa, sem autorização ou fazer menção aos créditos do verdadeiro autor da peça. Geralmente, ocorre com mais facilidade na internet. E, no jornalismo, que é uma atividade profissional essencialmente criativa, o plágio é um insulto ao jornalista autor do texto por todo trabalho e originalidade que teve.

A internet é um ambiente onde a prática do Ctrl C e Ctrl V (copiar e colar – pelos atalhos do teclado), que deveria ser apenas uma forma ágil de produção, foi entendida e é praticada até hoje de modo equivocado, ou seja, com intenção de copiar mesmo um trabalho original de um outro autor – na maioria das vezes, sem autorização e sem os devidos créditos. Lamentável, não? Onde fica a ética da profissão?

dino divulgador de notícias

Mas, se por um lado ela – a internet –  permite com mais facilidade e frequência que uma obra sofra uma cópia sem autorização do verdadeiro autor, por outro, nos dias de hoje, traz diversas ferramentas capazes de identificar o plágio do texto produzido. Talvez você não terá tempo e disposição para esta prática, mas certamente dá valor ao que produz.

Se você já teve algum conteúdo replicado indevidamente, saiba como se defender e fazer uma comparação da sua obra publicada na web com outro conteúdo que você supostamente acredita ser idêntico ao seu. A seguir, apresentamos uma ferramenta, entre muitas outras gratuitas e disponíveis na internet, que permite com uma minúscula margem de erro, identificar conteúdos idênticos:

A maneira mais fácil, rápida e gratuita para pesquisas de conteúdos plagiados, todos nós conhecemos: o Google. Um dos mais utilizados, o buscador do Google permite que você encontre, inserindo trecho do seu texto, se alguém o copiou total ou parcialmente, com ou sem menção de autoria. Além do buscador, empresas se especializaram em criar softwares e ferramentas online para a detecção de conteúdo idêntico. Plag Tracker é uma delas. Com acesso limitado, a ferramenta permite não apenas identificar o conteúdo copiado indevidamente por terceiros, mas também gráficos, porcentagem da análise, download em PDF, entre outros recursos.

Seja pelos buscadores ou com softwares online ou gratuitos ou pagos, você tem diversos meios para identificar, sinalizar e impedir que alguém ganhe, financeiramente ou intelectualmente, com aquilo que você custou a produzir.

E aí? Conhece mais alguma ferramenta para detectar plágios? Deixe sua dica nos comentários!

Jornalismo
NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre comunicação e negócios

O responsável pelo tratamento dos seus dados pessoais é o DINO Divulgador de Notícias. Estes dados serão utilizados para lhe enviar informativos sobre os nossos serviços, além de utilizarmos para efeitos estatísticos. Para mais informações sobre como utilizaremos os dados, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Ao utilizar este formulário você concorda com a nossa Política. O DINO Divulgador de Notícias pode compartilhar estes dados com outras marcas do Grupo Comunique-se para a mesma finalidade.

Caso deseje se desinscrever, você pode fazê-lo a partir de algum e-mail já recebido (através da função descadastrar) ou nos contatando a partir do e-mail [email protected]

Para exercer os seus direitos de usuário para retificação ou remoção dos dados sensíveis, contate-nos através do e-mail [email protected]