x

Foi dada a largada para o programa de inovação com Stanford em 2016

Sambatech, Hometeka e Dito foram as três das 23 empresas brasileiras de base tecnológica que iniciaram a apresentação de seus projetos aos conceituados professores Mike Lyons, Mike Lepech e Pedram Mokrian.

Belo Horizonte/MG (DINO) 07/10/2016

Vimos que o trabalho realizado no curso é muito sério, pois já no primeiro webinar, recebemos dos professores alguns questionamentos profundos sobre a lógica de construção de toda a nossa proposta de valor.

Webinars ao vivo fazem parte do cronograma do Programa de Inovação e Empreendedorismo, organizado pela Fumsoft | MGTI, em parceria com o Centro de Desenvolvimento Profissional da Universidade de Stanford. Sambatech, Hometeka e Dito foram as três das 23 empresas brasileiras de base tecnológica que iniciaram a apresentação de seus projetos aos conceituados professores Mike Lyons, Mike Lepech e Pedram Mokrian.

No primeiro webinar, que aconteceu no dia 28 de setembro, os docentes se apresentaram, passaram mais detalhes sobre o programa, e trataram da geração de Modelos de Negócios. Na ocasião, os participantes já tiveram a oportunidade de receber alguns feedbacks acerca de seus projetos.

Wilson Caldeira – diretor da Fumsoft e vice-presidente de Comunicação e Marketing da Assespro-MG – e que coordena nacionalmente o programa, afirmou que “Já nesse primeiro webinar, os empresários puderam sentir a profundidade com que seus negócios serão avaliados sob a ótica dos professores de Stanford. É um tipo de avaliação, objetiva, com conhecimento e sincera, que faz com que nossa capacidade de produzir algo melhor, seja desafiada o tempo todo. E isso, é apenas o começo”.

Os representantes da Sambatech gostaram muito do primeiro webinar. Segundo a product manager, Yolanda Vieira, deu para sentir que o corpo docente é supercompetente e que todos possuem muita experiência com empreendedorismo e entendem sobre fatores de fracasso e sucesso de startups. “Vimos que o trabalho realizado no curso é muito sério, pois já no primeiro webinar, recebemos dos professores alguns questionamentos profundos sobre a lógica de construção de toda a nossa proposta de valor. Realmente foi uma oportunidade de colocar nossas hipóteses à prova e entender como podemos evoluir nosso projeto”, comentou.

Além do feedback sobre o Opportunity Assessment, foi possível aprender sobre os vários aspectos de modelos de negócios, mapeamento de stakeholders, clientes e parceiros estratégicos. “Entendemos como fazer uma análise crítica de modelos de negócio de acordo com o fluxo de dinheiro e também de valor no modelo escolhido, com base no caso de sucesso do Uber”, compartilhou Yolanda.

O pessoal da Sambatech apresentou ainda a avaliação da oportunidade que fizeram do Kast, uma app para comunicação corporativa com vídeos que frequentemente chamam de “Snapchat corporativo”. O próximo passo é definir de forma mais clara o segmento de mercado que eles irão abordar inicialmente com o Kast e, para o próximo webinar, deverão entregar um diagrama do modelo de negócio com base nos conceitos apresentados.

O encontro inicial do curso foi um choque positivo de aprendizado, na visão do cofundador e CEO da Hometeka, Leandro Araujo. Nessa primeira etapa, o foco foi na metodologia de análise de oportunidades de negócio. De acordo com ele, um ‘framework’ sintético e objetivo que permite uma análise, ao mesmo tempo resumida, mas eficiente de negócios na área de inovação.

Para Araujo, o principal conhecimento nesse momento foi como aplicar o Opportunity Assessment Framework na avaliação de negócios escaláveis. “A metodologia permite agilidade e precisão na avaliação de negócios. Do ponto de vista do empreendedor, temos recursos limitados e, diariamente, precisamos realizar tomadas de decisão para escolher quais oportunidades são as mais promissoras. Portanto, uma ferramenta que permite velocidade e, ao mesmo tempo precisão, é fundamental para um processo decisório de qualidade”, explicou.

Como próximos passos do negócio, a equipe da Hometeka planeja um processo de internacionalização da empresa. As fases seguintes estão ligadas à definição do modelo ideal de negócio para o mercado americano, levando em consideração as diferenças culturais e econômicas.

O webinar foi muito interessante, segundo o CTO da Dito, Bruno Andrade, porque mostra a importância de fazer certos questionamentos que contribuem bastante para o sucesso da empresa. “O material disponibilizado e o webinar ensinaram um framework para a empresa que aplicados geram mais clareza e maturidade para o negócio. Foi muito importante o feedback sincero e direto dos professores. Apesar de termos pensado bastante na apresentação, já mapeamos diversos pontos de melhoria após o retorno dos professores”, enfatizou Andrade.

Os próximos webinars acontecem nos dias 11 e 26 de outubro. Acompanhe a cobertura jornalística dos dois encontros, nas edições da MGTI NEWS.
Informações de contato

Jaqueline Soares

Email

(31) 3194-7650